As palavras certas

The secret of all effective advertising is not the creation of new and tricky words and pictures, but one of putting familiar words and pictures into new relationships.    Leo Burnett

As palavras escritas são geralmente o primeiro elemento de comunicação com possíveis clientes. Seja através de, por exemplo, email marketing ou redes sociais, o conteúdo escrito torna-se o início e continuidade de uma relação comercial que a marca pretende que seja positiva e envolvente. Que cative a atenção de quem lê, suscite interesse. Pelo que a importância do que se diz e como se diz, deve cativar a leitura e a vontade do possível cliente em conhecer melhor, seja um produto ou um serviço.

Como escolher as palavras certas?

  • Conhecer a audiência

Saber para quem comunicamos é essencial para conseguir comunicar de forma eficiente. Se estamos num evento de marketing, sabemos que se utilizarmos expressões do meio, vamos ser entendidos. “Vamos ter mais ROI.”; “Queremos um posicionamento capaz de nos diferenciar”. Noutro exemplo, se comunicarmos para uma audiência jovem, é plausível, se corresponder ao perfil da marca, tratar a audiência por “tu”.  Ou seja, ajustamos a comunicação e as palavras ao contexto em que estamos, de acordo com a nossa audiência. Ajustamos o tom de voz.

  • Definição de tom de voz

Adequar o tom de voz na comunicação escrita é perceber o contexto de comunicação onde nos inserimos. Escrever um artigo para um blog difere de escrever conteúdos para um relatório institucional. Escrever uma publicação para o Facebook ou LinkedIn, difere de escrever conteúdos para o nosso website. São contextos diferentes. Enquanto a voz da marca deve permanecer a mesma, pelos valores e personalidade intrínsecos à marca, o tom pode e deve variar. A título de exemplo, podemos adotar uma escrita mais informal e descontraída num artigo de blog, mas por outro lado, um relatório exige uma linguagem mais formal e objetiva.

  • Foco na mensagem a comunicar

O que pretendemos dizer, a mensagem que pretendemos que seja comunicada, influencia o discurso e as palavras. Se pretendemos comunicar um novo serviço ou produto, devemos apresentá-lo aos possíveis clientes, comunicando o valor acrescentado. Um exemplo genérico de um novo serviço, mais económico para os clientes: “A pensar em si, criámos o [ serviço]. A preço reduzido, para que tenha mais por menos. Venha conhecer as vantagens.”. As expressões “preço reduzido” e a expressão “mais por menos” comunicam implicitamente a mensagem de um serviço mais económico.

  • Mais do que dizer, demonstrar

Uma das regras de escrita é “show, don´t tell”. Demonstrar, significa incluir uma imagem nítida na comunicação escrita, que consiga comunicar a mensagem de uma forma mais eloquente e percetível. A título de exemplo, podemos dizer que “Temos experiência”. Em alternativa, podemos dizer: “Criámos 20 projetos bem-sucedidos, para 5 clientes, em dois anos. Saiba o que eles têm a dizer sobre o nosso trabalho.”. Na segunda hipótese, a mensagem é mais concreta e palpável, e remete para testemunhos de clientes. Mostrámos, não dissemos apenas que “temos experiência”.

 

Boas palavras!