Não há pachorra para ler conteúdos

Há empresários que o dão a entender. Não interessa escrever ou aperfeiçoar o copy num website (por exemplo), “ninguém vai ler”. Ou, “não vale a pena perder muito tempo com isso”. Ou, “eu próprio escrevo”. Não vale a pena pagar a alguém para escrever conteúdos que ninguém tem tempo ou paciência para ler.

Existe uma desvalorização da comunicação escrita. Não digo da parte de todos. Mas de alguns empresários. Confesso, faz-me alguma confusão. Talvez porque seja esse o meu trabalho.

Mas para quem tem um negócio, o desconhecimento da importância da comunicação escrita é um grave erro. Porque mesmo um texto ou um copy escrito por alguém que não tem competência para o fazer, para quem lê, é dar meia volta e ver outras soluções. Muitas vezes, é perder uma lead.

Tendo especialmente em conta que a comunicação escrita é sempre o primeiro contacto que um possível cliente tem com a marca (no que diz respeito à comunicação online). Por isso digo:

A qualidade da comunicação escrita deve ser diretamente proporcional à exigência, conhecimentos e interesses da audiência.Tweet: A qualidade da comunicação escrita é diretamente proporcional à exigência, conhecimentos e interesses da audiência. @mybrandvoicer

Os conteúdos são o reflexo de quem está por detrás da marca ou da empresa. Da forma de estar e de pensar de quem está do lado de lá. Do que valoriza ou não valoriza. Se transmite ou não transmite confiança. Se consegue ou não passar uma mensagem. Se motiva ou não empatia.

Se se ganha ou se perde um cliente.

Para ganhá-lo é preciso mais do que um “toda a gente escreve”.